fbpx

8ª Mostra Cultural Lourenço Castanho da Educação Infantil e Ensino Fundamental I

Produção acadêmica dos estudantes é apresentada para toda a comunidade escolar


No dia 30 de novembro, sábado, a comunidade Lourenço Castanho prestigiou a 8ª Mostra Cultural da Educação Infantil e Ensino Fundamental I. O evento ocorreu na Unidade do Ensino Médio.

Os alunos do Infantil 5 fizeram uma apresentação musical, orientada pelo professor Romeu Manson. “Para cantar… a brincadeira!”, ele reuniu canções africanas e afro-brasileiras, remetendo a todo repertório adquirido pelas crianças durante o ano de 2019.

Os trabalhos dos alunos da Educação Infantil estavam expostos na quadra. O Infantil 1 e os alunos do English Experience (VIA 1 e 2) desenvolveram trabalhos em torno do tema “Escuta, sons, movimentos e construções”. O projeto se deu através de construções feitas pelas crianças, com diferentes materiais, em que todo o percurso feito provocava sons e movimentos. O tema foi escolhido através da percepção dos alunos ao brincar.

“Por entre águas, animais e descobertas” foi a temática do Infantil 2. Por meio de uma instalação interativa que remetia ao fundo do mar, as professoras expuseram todos os trabalhos produzidos pelos alunos, como conchas de massinha e peixes pintados com tinta guache.

O Infantil 3 explorou as técnicas usadas pelos artistas Tomie Othake, Paul Klee, Tim Noble e Sue Webster. O Projeto “Linhas, cores e formas” foi apresentado através de esculturas, pinturas individuais e coletivas, feitas pelos alunos durante as aulas.

Através do estudo de suas frutas preferidas, as crianças do Infantil 4 puderam conhecer mais sobre as semelhanças e diferenças dos frutos existentes. Os alunos fizeram trabalhos com sementes em pratos transparentes e esculturas das frutas com argila e tinta. A instalação que acompanhava a exposição dos trabalhos permitia uma exploração sensorial de sementes e frutos. O público poderia tocar nos objetos expostos e também utilizar os monóculos pendurados, que traziam fotos de outras sementes.

Fábio Ferreira, pai da aluna Carolina Prado Ferreira, falou sobre a importância da integração família/escola. Destaca que eventos como a Mostra Cultural fazem com que ele veja mais identificação entre sua filha e a Instituição. “O motivo pelo qual viemos para a Lourenço Castanho é justamente por esse tipo de atividade que proporciona o envolvimento da família no processo”.

O Projeto “Memórias da Infância” propiciou aos alunos do Infantil 5 vivências de brincadeiras tradicionais e antigas. O principal componente apresentado na Mostra foram os depoimentos das crianças do grupo. Repensando também nos espaços onde essas brincadeiras aconteciam, os alunos, através de fotos, fizeram intervenções nos lugares da Escola nos quais mais gostavam de brincar.

Nas salas de aula do Ensino Médio, foram expostos os trabalhos dos alunos do Ensino Fundamental I. “Crianças em qualquer canto: um olhar para a diversidade” foi o tópico abordado pelos alunos do 1° ano. O trabalho foi construído em etapas: primeiro uma análise do ambiente escolar. Depois, o estabelecimento de paralelos entre a Lourenço Castanho e outras Instituições, como a Escola Estadual Ludovina Credidio Peixoto e a ampliação para um contexto global.

A produção abordou crenças, hábitos e elementos culturais mais latentes dentre os países estudados. O Dragão do ano novo chinês, a Festa de Los Muertos, típica do México, e os vitrais iranianos foram alguns dos elementos construídos pelos alunos para ilustrar essa pesquisa. Para complementar a viagem a outras culturas, os alunos apresentaram “Cantos de todos os cantos”. A apresentação musical, coordenada pelo educador Renato Epstein, trouxe canções dos diversos povos abrangidos na investigação do grupo.

A professora Maria Antonieta Barreto contou que o projeto possibilitou uma pesquisa para além dos elementos mais comuns da cultura. “Nós decidimos trazer a diversidade existente em países, através de um âmbito cultural. No desenvolvimento da pesquisa sobre o Irã, vimos que alguns traços culturais marcantes dessa cultura são os trabalhos manuais, a reunião em piqueniques e o costume de se reunir em roda, hábitos que vão além do conhecimento comum da cultura iraniana”.

Ana Paula, avó da aluna Thaila Villar do 1° ano, ficou extremamente emocionada com o trabalho apresentado pela neta. “Estou encantada com o projeto da diversidade de cultura nos países. As crianças tiveram contato com diversos valores, e o resultado final foi um trabalho muito bem feito. Sensacional, a Escola está de parabéns”.

Os grupos do 2° ano tiveram como tema do Projeto Integrador de Série “Brinquedos, brincadeiras, um menino e sua peneira”. Através da exploração de brincadeiras de diversos tempos, países e culturas, os estudantes construíram um repertório amplo e entenderam, um pouco, como essas atividades são cruciais em suas vidas e nas de outras crianças. Nas salas 13 e 14, foram expostos alguns dos jogos vivenciados ao longo do ano. Tabuleiros, caminhos e regras elaboradas pelos próprios alunos permitiram aos pais e familiares experimentar novas brincadeiras e relembrar as antigas em um momento de integração.

As saídas de campo dos alunos do 3° ano permitiram o acesso às diversas narrativas existentes na cidade sobre “O que São Paulo representa para você e para nós?”. Através de representações de edificações icônicas de São Paulo e da materialização de uma cidade que eles projetaram, os estudantes apresentaram suas novas perspectivas sobre os múltiplos significados que a cidade onde vivem pode ter.

O 4° ano nos trouxe “Um banho de Brasil”. Por meio de estudos sobre as matrizes brasileiras, os estudantes mergulharam na diversidade existente no país. Um mapa (do Brasil) recoberto por imagens de diferentes indivíduos abria a exposição que trazia a diversidade e miscigenação das quais nosso país é fruto. Simbologias africanas estavam presentes através de máscaras e representações de seus orixás. Cumbucas de argila evocavam as matrizes indígenas, e as raízes nordestinas eram representadas pelo boi-bumbá.

A trajetória do grão, principal responsável pela economia por muito tempo, foi abordada pelo tema “Por que o café foi uma alavanca para o Estado de São Paulo?”, projeto do 5º ano. O trabalho contou com a exposição das conclusões a que os alunos chegaram nos Estudos de Campo para Paranapiacaba, Santos e Jundiaí. Os espaços foram representados através de maquetes construídas pelos alunos.

O aluno Luís Gabriel Piraíno, do 5° ano B, contou que todo o trabalho foi muito significativo pela importância histórica do café. “É o produto que desenvolveu o Estado onde moramos, com grande importância para o Brasil inteiro”.

Além das salas, o auditório recebeu as apresentações musicais regidas pelos educadores Romeu Manson, Renato Epstein e Cristiano Meirelles. Os alunos do 3° ano recriaram canções do musical “Os Saltimbancos”.

“Viva o Rock” trouxe um repertório rock’n roll para o evento nas vozes dos alunos de 5° ano.

E, para fechar com chave de ouro, tivemos a apresentação do coral do Ensino Fundamental I. “Aquarela Musical” reuniu sucessos do repertório brasileiro. A Diretora Pedagógica, Patrícia Torralba, concluiu dizendo que a Mostra Cultural tem um papel muito relevante no processo de aprendizagem dos alunos. “O conhecimento faz sentido quando nós o socializamos. Aprender a comunicar o que foi aprendido é de extrema importância, pois retoma todo o processo pelo qual os estudantes percorreram”.

Confira a matéria sobre a 21º Mostra Cultural do Ensino Fundamental 2 e Ensino Médio


8ª Mostra Cultural Lourenço Castanho da Educação Infantil e Ensino Fundamental I

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *