fbpx

Visita ao Museu da Imaginação

Alunos do English Experience (VIA) realizam estudo de campo


No dia 13 de novembro, quarta-feira, os alunos do Infantil 4, que participam do English Experience (VIA), visitaram o Museu da Imaginação.

Localizado no bairro Água Branca, o local reuniu elementos dos dois projetos desenvolvidos pelas crianças: Construções e Poções mágicas da infância.

As temáticas dos projetos foram escolhidas a partir do interesse que as crianças apresentaram durante as brincadeiras livres. O projeto Construções, do grupo de segundas e quartas-feiras, surgiu a partir de uma brincadeira de um dos alunos no parque da Escola.

A partir disso, as professoras passaram a abordar os tipos de ferramentas e construções presentes em diversos locais do mundo, além de atividades que permitiram aos alunos fazerem suas próprias construções.   

Poções mágicas da infância também foi baseado em uma brincadeira, só que, dessa vez, dos grupos de alunos frequentadores do English Experience (VIA), de terças e quintas-feiras. As crianças costumavam desenvolver “poções” no parque. A imaginação delas era primordial para que as brincadeiras acontecessem, e, em torno desse elemento, os alunos desenvolviam as mais diversas narrativas.

Dentro desses dois contextos, as professoras encontraram o Museu da Imaginação, que promovia espaços de construção. Lá, os elementos do imaginário infantil também marcavam presença. A saída foi, então, uma forma de interligar os projetos das duas turmas.

No espaço, os alunos puderam mergulhar em obras de artistas como Salvador Dali e Leonardo Da Vinci. Além das obras de Da Vinci, eles puderam conhecer um pouco mais sobre os projetos que o artista desenvolveu em paralelo à carreira de artista plástico, como o protótipo de asas, as adaptações que fez em paraquedas e os estudos ao redor do corpo humano. Entre as crianças, comentários como “aqui é superdivertido!”, “eu quero voltar aqui mais vezes” e “eu adorei o museu” eram frequentes.

Luciana da Conceição, professora dos grupos, explica que, além de a saída ser importante para os projetos, ela promove uma conexão dos alunos entre aquilo que vivenciam na Escola e no mundo.

“Eles podem perceber que essas experiências estão para além dos muros da Escola. Os alunos entendem que o que é abordado na Escola não se limita apenas a ela. A ideia é que eles consigam transpor os conhecimentos adquiridos no contexto escolar para outros meios, e o Museu funciona como esse espaço”, disse.

A professora conta ainda que, após a saída, haverá uma retomada dos momentos mais marcantes para as crianças e, a partir do interesse mais latente entre os grupos, será desenvolvida uma atividade de forma personalizada.