fbpx

Bancas finais do Projeto Científico

Alunos da 2ª série apresentam trabalhos para orientadores e especialistas


Durante os dias 4 e 5, ocorreram, na unidade do Ensino Médio, as avaliações finais dos Projetos Científicos desenvolvidos pelos alunos da 2ª Série. As apresentações foram divididas em 4 sessões em cada um dos dias, totalizando 30 trabalhos apresentados.

A elaboração do Projeto iniciou-se no último trimestre de 2018, quando os alunos estavam na 1ª Série do Ensino médio. A pesquisa gira em torno de uma temática escolhida pelos próprios alunos e é conduzida pelos professores orientadores. No primeiro semestre de 2019, os trabalhos passaram pelas bancas de qualificação e após as adaptações e correções, chegaram à banca de análise final.

Nina Keller, da 2ª série A, apresentou suas conclusões sobre “O perfil dos veganos da cidade de São Paulo”, trabalho orientado por Mariana Almeida. Por meio de um formulário online com uma amostragem de mais de 500 respostas, a aluna fez um levantamento sobre as identificações do grupo dentro da cidade de São Paulo. Nina afirmou que foi de extrema importância que pudesse explorar um tema presente na sua vida, já que é adepta ao veganismo. “Foi fundamental para o meu trabalho que eu pudesse pesquisar um tema com o qual eu me identifico. Essa foi uma oportunidade incrível, porque deu ainda mais significado para o meu projeto”, complementou.

Através do desenvolvimento do protótipo de uma turbina, Bryan Domiciano e Thomas Jardane apresentaram uma alternativa sustentável e econômica para a geração de energia. O trabalho “Energia sustentável: aproveitamento da energia hídrica em tubulações prediais domésticas para a geração de energia elétrica” foi orientado pelo professor Rodrigo Lemonica. “Eu acredito que a pesquisa científica tem essa característica de transformar o indivíduo e suas crenças, para que ele evolua e conheça mais sobre o mundo”, disse Bryan sobre a importância do projeto no Ensino Médio.

Caterina Francini, Luana de Oliveira e Maria Eduarda Bonato apresentaram um estudo de caso sobre “A importância da brincadeira na formação das crianças de 4 a 6 anos de idade na Escola Lourenço Castanho”. As alunas visitaram a unidade da Educação Infantil da Escola, analisaram as brincadeiras propostas no espaço e estabeleceram um paralelo com as diretrizes curriculares propostas pela prefeitura de São Paulo e pelo documento oficial da própria Escola.

Os alunos da 1ª série também assistiram às apresentações a fim de conhecerem o funcionamento das bancas já que começaram a estruturar seus estudos científicos nesse projeto nesse último trimestre do ano e participarão das bancas de qualificação no final do primeiro semestre de 2020.

“Eu acho bem interessante que possamos acompanhar a apresentação dos trabalhos da 2ª série porque nos prepara um pouco mais para o ano que vem, nos mostra as abordagens que podemos fazer e as etapas que fizeram parte do trabalho”, comentou Gabriel José do Nascimento, da 1ª Série C.

Além dos colegas, a comunidade de pais da Escola também foi convidada a participar desse momento tão relevante na vida dos estudantes. Juliana Câmara, mãe da aluna Luana de Oliveira, contou que acompanhou o trabalho da filha desde o início, e que poder assistir à apresentação final é extremamente gratificante. “É impressionante a evolução nessa apresentação final. Esse engajamento dos alunos com o seu tema de estudo é nítido não só na Escola, como também em casa”.

O trabalho “Em que medida o Estudo das Sete Nações influenciou as diretrizes nutricionais atuais? ” apresentou uma crítica à cultura de ingestão de uma grande quantidade de carboidratos e um baixo consumo de gorduras. Através de apontamentos do Estudo das Sete nações, Gabriel Mattos e Pedro Ribeiro abordaram também pontos positivos de uma dieta cetogênica.

Roberta Hernandes Alves, Coordenadora do Projeto Científico, explica que a liberdade de escolha entre os temas permite que os alunos explorem as diversas áreas de conhecimento e desenvolvam suas aptidões. “É muito importante que os alunos saibam quais são seus campos de interesse antes de escolherem seus cursos universitários e que eles possam conhecer diferentes linhas de pesquisa, com a Escola se apresentando como esse lugar de experimentação”.

Veja também a participação dos nossos alunos na MOSTRATEC 2019 –  a maior feira de iniciação científica da América Latina.