fbpx

Alunas do 7° ano apresentam projeto para Infantil 5

O trabalho tem como tema a preservação das abelhas


Aconteceu, no último dia 10, uma integração entre as alunas do 7° ano e as crianças das Vivências Interculturais Ampliadas (VIA) do Infantil 5. Isabel Bicudo, Liz Mendes e Beatriz Dreyfuss apresentaram para os alunos seu projeto para a preservação das abelhas.

A vivência teve como objetivo, além da introdução da problemática da extinção das abelhas, proporcionar uma participação dos alunos no trabalho. O projeto consiste na atração de abelhas para centros urbanos a fim de gerar uma pluralidade maior de plantas nas regiões metropolitanas.

Essa atração será feita através da “Bee Box”. O protótipo criado pelas alunas consiste em uma caixa feita de madeira com o intuito de proporcionar um espaço seguro para a construção das colmeias, com um minijardim na parte de baixo da “casa”.

Para a conscientização do público sobre a relevância das abelhas, parte do projeto das alunas contém um jogo de tabuleiro. E é nesse momento que entram as pequenas mãozinhas.

A crianças do infantil confeccionaram os peões do jogo, que são abelhas feitas de biscuit, e os tabuleiros. Durante todo o processo, as meninas conversaram com os alunos, explicando conceitos chaves, como polinização, para entenderem a importância das abelhas nos ecossistemas que compõem o planeta.

O momento de trocas foi muito rico para os dois lados. O aluno Enrique Gracio, do Infantil 5, contou que aprendeu muito sobre os hábitos dos insetos. “As abelhas são atraídas pelas flores amarelas, brancas, azuis e roxas”. A Aluna Rafaela Queijo disse que a parte de que ela mais gostou foi a presença das meninas na sala: “Eu gostei de ficar com elas e poder fazer abelhinhas com biscuit”.

As alunas explicaram que a ideia da participação do Infantil tem um intuito de criar uma corrente de conscientização. “Pelo fato de eles serem mais novos, eles vão aprender mais rápido e vão lembrar sempre do que viveram. Isso é uma chance para que compartilhem com os pais, com os amigos, assim criamos uma corrente de conscientização sobre o tema”, disse Lis.

Beatriz e Isabel ainda ressaltaram que a vivência pode engajar os alunos na causa desde pequenos e divulgar o projeto que será apresentado na Mostra Cultural no fim do mês. “Nós acreditamos que, para realizarmos essa missão de salvarmos as abelhas, as pessoas precisam primeiro conhecer o nosso projeto”, afirmou Beatriz.

“Sabendo do problema, eles já crescem interessados no assunto e, assim, podem fazer algo para evitar a extinção dos insetos”, concluiu Isabel.