fbpx

Projeto One Note é apresentado no BETT Educar 2019

Lourenço Castanho participa da programação a convite da Microsoft 


Entre os dias 14 e 17 de maio, ocorreu, na Expo Transamérica, o Bett Educar 2019, o maior evento de educação da América Latina.

O evento reuniu as principais inovações educacionais presentes no mercado, nomes tradicionais da educação brasileira e suas metodologias.

Com o intuito de compartilhamento de práticas letivas, as educadoras Thainá Duglosz e Ana Paula Soares e a professora Carolina Dias apresentaram, no estande da Microsoft, as tecnologias implementadas no cotidiano dos alunos na Lourenço Castanho.

A palestra começou com uma breve introdução dos valores existentes na Escola, que se perpetuam desde sua criação. Com o foco na tecnologia educacional presente na Escola, a principal questão abordada na palestra foi a inserção das práticas tecnológicas em sala de aula e o consumo.

Nesse formato de aula, os alunos passaram a ser criadores de seus conteúdos. “O que nós trabalhamos é a produção deles para garantir a questão da fluência digital.

As educadoras citaram o uso da ferramenta One Note, implementada em atividades com os alunos do 5° ano. No primeiro contato com a ferramenta, os alunos utilizaram o programa para desenvolver uma resenha sobre um vídeo mostrado em aula. Depois dessa primeira ambientação, o One Note passou a ser utilizado para o desenvolvimento das lições de casa.

Ana Paula comenta que a tecnologia educacional é importante para os alunos porque une dois âmbitos. “Nós trazemos essa tecnologia como parte do conteúdo, fazendo sentido com o todo. Não tem diferenciação, os alunos não precisam parar o que estão fazendo para ter uma aula só de informática, eles utilizam o computador para desenvolver as tarefas”.

A proposta vai além de somente inserir ferramentas tecnológicas no cotidiano acadêmico dos alunos. A ideia é fomentar uma consciência crítica para que decidam, em cada atividade, qual forma de produção é mais vantajosa: a tecnológica ou a analógica.

Thainá ressalva que a oportunidade de compartilhar essa prática no Bett Educar mostra para os professores a possibilidade de a tecnologia e os componentes curriculares caminharem juntos, pois o modo mais comum que é proposto nas escolas é uma aula isolada na grade, que não conversa tanto com o conteúdo.

“Quanto mais professores conhecerem e entenderem que eles podem inserir as ferramentas em suas aulas sem dispersar do foco principal e ainda trazer um auxílio para a compreensão dos alunos, mais natural se tornará esse uso”.