fbpx

Projeto da Educação Infantil é inscrito no ICLOC

“Lourenço EnCanto” oferece uma experiência de leitura inovadora


Contar e ouvir histórias faz parte da experiência humana há muito tempo. É algo que desperta o interesse de crianças e adultos. Na Escola Lourenço Castanho, a leitura e a contação de histórias são práticas diárias, que acontecem nos mais variados locais, por meio de diferentes estratégias. Neste contexto de valorização da literatura, surgiu o Projeto Lourenço EnCanto, que além de ter esse objetivo primordial, busca permitir que as crianças façam suas próprias escolhas e as compartilhem com os colegas, já que o protagonismo infantil também é um dos princípios de nosso currículo. Assim, todos os meses, a escola para e escuta as contações de histórias, onde crianças e adultos deliciam-se com lobos, castelos, cobras, bruxas, gigantes e tantos outros. Paira pela escola um silêncio de total envolvimento, concentração e expressões de prazer que podem ser percebidas em cada rosto. Silêncio que somente é “quebrado” no retorno à sala, onde as crianças podem compartilhar com os colegas tudo que vivenciaram, deixando um gostinho de quero mais até a próxima sessão. Este Projeto, foi inspirado em um programa da Editora Abril, chamado “Projeto Entorno”.

A prática consiste em três etapas. Num primeiro momento, as professoras realizam a escolha dos títulos que serão contados, levando em consideração a faixa etária das crianças e a qualidade literária do texto. Numa segunda etapa é feita a produção de cartazes contendo a capa e a resenha dos livros escolhidos, assim como a ficha para inscrição na história, a ser preenchida pelas crianças. Num outro momento, as professoras realizam a leitura de todas as resenhas para as crianças, que escrevem o próprio nome (ou colam uma etiqueta quando ainda não escrevem) na sessão que querem participar. A última etapa consiste nas sessões de contação, que acontecem simultaneamente, envolvendo os alunos que escolheram a mesma história, advindos de diversos grupos, com diversas faixas-etárias. Ao retornar às salas de origem, as crianças trocam impressões sobre o que ocorreu e fazem indicações aos colegas. As mesmas sessões são repetidas após um mês, para que as crianças tenham a possibilidade de realizar outras escolhas, frente aos que os colegas apresentaram.

“É muito enriquecedor, do começo ao final, porque você vê crianças relatando para os colegas os detalhes da história que acabaram de ouvir e a sua interpretação individual”, disse a auxiliar pedagógica Giuliana Farah.

“Com o encontro de diversas faixas etárias, as crianças aprendem muito. Os pequenos, ao verem os mais velhos fazendo coisas que eles ainda não fazem, inspiram-se nessas ações. Já os maiores, também aprendem a estar com os menores, respeitá-los, conhecer suas características e os acolherem.”, completa a coordenadora pedagógica, Vivian Alboz.

O projeto está inscrito e será apresentado no 11º Congresso ICLOC de Práticas na Sala de Aula, que ocorrerá no dia 25 de maio de 2019, na Fundação Álvares Penteado (FECAP), Campus Liberdade, em São Paulo, pelas professoras auxiliares Ana Paula Quina, Ellen Pereira, Giuliana Farah e Dayane Medeiros criaram essa atividade.. O evento é uma iniciativa do Instituto Cultural Lourenço Castanho, instituição sem fins lucrativos, criado pelas fundadoras da Lourenço, e que tem como propósito o aprimoramento da educação brasileira. Na edição de 2019 serão apresentados 1.111 práticas letivas. Trata-se do maior evento do gênero no país.