fbpx

Chá dos Avós com as turmas dos 2ºs anos

Alunos dos 2ºs anos recebem seus avós na Escola.


No dia 19 de outubro, a Lourenço Castanho recebeu, no Ensino Fundamental I, os avós dos alunos dos 2ºs anos para participarem do tradicional “Chá dos Avós”. Na oportunidade, os avós puderam compartilhar com os alunos, seus netos, histórias de infância, lembranças marcantes da época em que eram ser criança.

Como parte do trabalho desenvolvido em Ciências Humanas, os alunos iniciaram o estudo sobre identidade, no começo do 1º trimestre. “Eles começam pensando na identidade deles, que tem a ver com a família, desde os pais até os avós, vendo suas particularidades, e, aí, alguns alunos começam a perceber que tiveram pai, mãe ou avós que vieram de outros lugares, outros países, e, com isso, começamos a conversar bastante sobre essa diversidade”, explica a professora do 2ºB, Danielle Fontenele.

Após essa primeira etapa, as turmas começaram a pesquisar sobre as brincadeiras que os pais e os avós faziam. “As crianças perceberam que existiam algumas semelhanças, mas que também havia diferenças. Que algumas coisas permaneceram iguais e outras se modificaram”, diz a professora.

Além disso, a turma também estudou sobre como eram as escolas naquele tempo. Os alunos realizaram uma entrevista com perguntas como, por exemplo, sobre os uniformes utilizados naquela época, como era a relação com os professores e se a escola era pública ou particular. “Depois dessas perguntas, nós pedimos para que os avós contassem um momento que marcou muito a vida deles. E é muito legal essa parte, porque aparecem muitas coisas, eles trazem muitas histórias, e isso é muito rico”, destaca Danielle.

No início do encontro, o coordenador de série, Paulo Chagas, falou sobre a importância dos avós. “Acredito que a figura de uma árvore é bem representativa para o ser humano. Ela oferece sombra, dá frutos, faz com que a terra esteja sempre úmida, deixa o mundo mais bonito, e essa imagem me veio à mente, porque quando pensamos no trabalho que realizamos aqui na Escola, vemos que os avós são os responsáveis por esses frutos (alunos). No entanto, as árvores às vezes ficam à mercê da natureza, pode vir um raio e quebrar os galhos, pode passar um vento forte e levar as folhas, mas, enquanto a árvore tiver raízes, é certeza que ela se manterá firme porque os avós são as raízes dessas crianças”, disse o coordenador.

A aluna do 2ºB, Isabela Milano, destacou o momento do relato de sua avó. “Fiquei muito feliz que minha avó pôde vir. E gostei mais ainda porque, enquanto ela estava falando, ela me deu uma boneca que era da minha bisavó, adorei muito isso”, diz. “Gostei bastante do que minha avó disse e também do que os outros disseram, gostei de ouvir tudo isso”, destaca a colega de turma, Alice Kohl.

Diferente dos outros anos, os alunos pediram para que os avós trouxessem objetos que representassem algum momento marcante da infância deles, enriquecendo, assim, ainda mais a conversa com os alunos. “Teve gente que trouxe tosteque, ferro de passar roupa antigo, algumas fotos, mata-borrão… e o que foi legal é que, em sala, já havíamos passado alguns materiais escolares de antigamente, como o tinteiro, as mesas que eram de madeira e tinham um suporte. Então, quando os alunos ouviram os avós falarem sobre isso, eles já tinham uma referência. Além disso, também trouxeram cordas de pular, bonecas de porcelana… Com isso, as crianças perceberam que havia algumas semelhanças e algumas diferenças”, explica a professora.

A avó do aluno Nicolas Zammataro, 2ºB, Dalva Xavier, compartilha a experiência no Chá dos Avós: “Fiquei muito emocionada. É muito lindo! As crianças ficaram muito felizes com a gente, e gostei muito de ver isso”.

“É muito bom que as crianças fiquem sabendo como era a vida dos avós, como foi o passado, a infância, que tudo era diferente”, ressalta Sueli Ajaj, avó do aluno Felipe Ajaj, 2ºB. “O evento é muito importante porque traz uma história de vida para os alunos, o que é muito bonito, e que realmente tem que ser resgatado. Eles têm que saber a história de vida deles para poderem aprender novas histórias. É a primeira vez que participo, e nós todos ficamos muito satisfeitos e muito felizes. A Lourenço Castanho está de parabéns por estar fazendo esse evento”, destaca.

Terminada a conversa, todos os avós e alunos seguiram para o Chá, em um momento de confraternização.

Posteriormente, em sala de aula, cada aluno produzirá um relato dizendo do que mais gostou e o porquê.